PAGAMOS CADA VEZ MAIS IMPOSTOS   (16/03/2014)
Economia e Política
Por: João de Freitas Pereira

Cada ano que passa, pagamos mais impostos, e mudam os governantes, mas as situação dos impostos cotinua a mesma.

 

 06/01/11 - 17h - Imposto de Renda a pagar será maior sem correção de tabela; defasagem passa de 70%

A tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física que, desde 2007, é corrigida pela meta de inflação de 4,5%, não teve mudança para o ano-base 2011. A defasagem desde 1995, que já superava 64%, deve passar de 70%, segundo cálculos do Sindifisco Nacional. A tabela precisaria ter um reajuste de 71,5% para compensar toda a inflação acumulada entre 1995 e 2011. Isso significa que os contribuintes têm sido descontados bem acima da reposição dos salários, corrigidos ao menos tendo como base o índice de preços acumulado. Segundo o Sindifisco, esse cálculo leva em conta o centro da meta de inflação no ano, estipulada em 4,5%.
(Jornal de Montes Claros).
 

Se o Lula, que tanto criticava a falta de correção do governo FHC, não corrigiu as coisas corretamente,

Será que Dilma Rousseff não irá piorar a situação?

 

Ver a situação em 2012:

 

MAIS IMPOSTOS COMO SEMPRE
2012


Os Brasileiros continuam pagando cada vez mais impostos, como sempre tem sido nos últimos anos.

"Correção na tabela do IR começa a valer na segunda-feira

A tributação dos salários é feita em cinco faixas, que serão todas reajustadas, o que diminuirá o valor final do imposto que fica retido a partir de janeiro
Agência Estado

A correção da tabela do Imposto de Renda Retido na Fonte em 4,5% começa a valer na próxima segunda-feira (02/01). O reajuste, abaixo da inflação, dará um alívio temporário ao bolso dos trabalhadores brasileiros. A tributação dos salários é feita em cinco faixas, que serão todas reajustadas, o que diminui o valor final do imposto que fica retido a partir de janeiro.
A faixa do salário que fica isenta do IR passa dos atuais R$ 1.566,61 para R$ 1.637,11. A alíquota mais alta, de 27,5%, passa a ser aplicada sobre a parcela do salário que supera R$ 4.087,65. Hoje, atinge o ganho acima de R$ 3.911,63.

O reajuste anual da tabela do IR em 4,5% será aplicado até 2014. O porcentual corresponde ao centro da meta de inflação definida pelo governo. Em 2011, no entanto, o índice oficial de preços deve ficar próximo de 6,5%.

Como o próprio governo prevê uma inflação acumulada acima de 4,5% em 2012, muitos trabalhadores passarão a pagar mais imposto assim que tiverem seus salários reajustados no próximo ano, em relação ao que pagaram em 2011.

O imposto retido na fonte depende ainda do abatimento mensal por dependente, que sobe de R$ 157,47 para R$ 164,56 em 2012. O valor também varia de acordo com a contribuição para o INSS, que terá seu reajuste definido em janeiro.

A correção da tabela deve representar uma renúncia fiscal de quase R$ 2,5 bilhões em 2012, segundo estimativas da Receita Federal.

De acordo com sindicatos, a correção abaixo da inflação implica, no entanto, em uma arrecadação maior para o governo. Estima-se uma defasagem acima de 50% na tabela do IR nos últimos 15 anos.

http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI287014-16357,00-CORRECAO+NA+TABELA+DO+IR+COMECA+A+VALER+NA+SEGUNDAFEIRA.html

 

 

 



708 exibições


Avalicações
Excelente: 0
Bom: 0
Regular: 0
Ruim: 0

AVALIE ESSE TEXTO


Você gosta de escrever? Quer um espaço para divulgar suas ideias sem pagar provedor?  Clique em crie sua conta, faça seu cadastro e comece a escrever.  Não lhe custará nada, e você poderá estar contribuindo na defesa de um pensamento.

4 usuário(s) online