GANHA-SE MENOS, PAGA-SE MAIS   (09/03/2014)
Economia e Política
Por: João de Freitas Pereira

- 05/02/2003 -

Em 28 de abril de 2001, publiquei o artigo “O CÍRCULO VICIOSO DA MISÉRIA”. Hoje encontrei uma infeliz notícia do que eu dissera.

Em meu artigo, em apresentei a seguinte seqüência de atos e fatos:

“Cada plano econômico reduz, em primeiro lugar, o poder aquisitivo da remuneração do trabalhador. A conseqüência lógica é a redução do consumo. Disso resulta: baixa no comércio e na indústria, com aumento do desemprego; diminuição da arrecadação de impostos, com maior deficit público. O governo compensa as perdas com aumento de impostos, que reduz o lucro do produtor, o qual aumenta seus preços quando consegue.

O trabalhador, que paga mais impostos do que o capitalista, passa a ter menor capacidade de consumo, agravando a situação.”

Segue abaixo a informação de hoje na seção de economia do UAI:

Impostos - Carga tributária chega a 36,4% do PIB

O brasileiro nunca pagou tantos impostos. Em 2002, a carga tributária no País cresceu pelo sexto ano seguido e bateu novo recorde, chegando a 36,45% do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2001 os tributos representaram 35,48% do PIB. No total, a arrecadação de impostos somou R$ 476,57 bilhões em 2002, aumento de R$ 72,82 bilhões sobre o volume arrecadado no ano anterior.

Entre os tributos de maior peso, a mordida do Imposto de Renda foi a que mais cresceu. Em 2001, abocanhou R$ 64,91 bilhões dos contribuintes. Já em 2002 o montante saltou para R$ 85,80 bilhões, um aumento de 32,19%. A arrecadação dos impostos vinculados à Seguridade Social, entre eles, PIS, Cofins e INSS, subiu 19,16%. A maior alta foi registrada na CSSL (Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido) que subiu de R$ 9,36 bilhões em 2001 para R$ 13,36 bilhões.

Os dados são do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Segundo o estudo anual, os brasileiros pagaram, individualmente, R$ 2.723,26 de impostos federais, estaduais e municipais em 2002. De acordo com o levantamento, a renda per capita anual da população brasileira é calculada em R$ 7.470,86. Isso significa que cada cidadão teria de trabalhar quatro meses e 13 dias para pagar impostos. Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, entre 1994 e 2002, o IBPT verificou um aumento de 213% na carga tributária. Desde 86, a carga tributária cresceu 530%, enquanto que o PIB aumentou 287% no mesmo período.

“O brasileiro nunca pagou tantos impostos”. Você se lembra de quantas vezes já viu ou ouviu essa frase nos últimos anos? Eu não sei ao certo; mas parece que ela é repetida cada ano. O grave é que a cartilha fernandina parece ter trocado de mão quase sem nenhuma alteração, e corremos o risco de ver a frase repetida nos próximos anos.


Veja mais sobre o prosseguimento da situação



542 exibições


Avalicações
Excelente: 0
Bom: 0
Regular: 0
Ruim: 0

AVALIE ESSE TEXTO


Você gosta de escrever? Quer um espaço para divulgar suas ideias sem pagar provedor?  Clique em crie sua conta, faça seu cadastro e comece a escrever.  Não lhe custará nada, e você poderá estar contribuindo na defesa de um pensamento.

1 usuário(s) online