EQUÍVOCOS HUMANOS E DIVINOS SOBRE O CORAÇÃO   (24/09/2015)
Conhecimentos gerais
Por: João de Freitas Pereira

24 de setembro é o Dia Mundial do Coração.  Tanto se enganou sobre ele, que até hoje é tido como a sede do amor.

É uma pessoa sem coração”. Essa frase não diz literalmente nada do que quer dizer quem a profere, mas continuará a ser ouvida ainda no terceiro milênio da Era Cristã. Isso prova que as raízes do passando às vezes são muito profundas.

A boca fala do que está cheio o coração.” Palavras atribuídas a Jesus. Hoje sabemos que o coração está cheio de sangue, com as contaminações químicas que entram pela boca e pelo nariz, às vezes pela pele. Mas essas palavras não se referiam a esses componentes, podendo serem: “a boca fala do que está cheio o cérebro”.  Naquela época, no entanto, não se falava em cérebro; os deuses não sabiam que nossos pensamentos e sentimentos estão no cérebro.

 

O coração alegre serve de bom remédio”. A sabedoria de Salomão não lhe possibilitou entender que o coração não é o centro das emoções, mas ele já compreendia o efeito do prazer sobre o organismo.

Devido à repercussão que certas emoções têm sobre o ritmo cardíaco, o povo da antiguidade elegeu coração como o centro das emoções.

O tempo passou, e a função cardíaca foi desvendada. Não obstante, permaneceu a figura do coração como a sede do amor. Os apaixonados vivem desenhando corações. Ao mesmo tempo que se atribui ao Diabo a inspiração da cobiça (latim “cupiditia”) da mulher alheia, o inspirador do amor é o Cupido, aquele anjinho pelado atirando flechas que atravessam os corações dos enamorados.

Os nossos sentidos estão no cérebro, porém continuamos como se eles estivessem na nossa bomba biológica, que impulsiona o sangue para levar os nutrientes a todas as partes do corpo. Não estaria errado Moisés ao dizer que “a vida de toda carne é o seu sangue”, pois só através dele o oxigênio e os nutrientes que mantém o corpo vivo podem chegar ao seu destino, e o coração é o motor que os conduz.

O coração não contém sentimento algum, não determina o comportamento e não está cheio do que fala a boca, todavia continua sendo considerado como tal na linguagem popular.

 



581 exibições


Avalicações
Excelente: 0
Bom: 0
Regular: 0
Ruim: 0

AVALIE ESSE TEXTO


Você gosta de escrever? Quer um espaço para divulgar suas ideias sem pagar provedor?  Clique em crie sua conta, faça seu cadastro e comece a escrever.  Não lhe custará nada, e você poderá estar contribuindo na defesa de um pensamento.

4 usuário(s) online