A BANCADA EVANGÉLICA É UMA TRAGÉDIA   (08/09/2015)
Economia e Política
Por: João de Freitas Pereira

A Bancada Evangélica...

É uma tragédia. Extremamente conservadora, aliada orgânica da bancada da bala e da bancada do boi, atacando sistematicamente os direitos das minorias, defendendo o interesse das elites econômicas, subtraindo a Democracia e o Estado Laico. Estruturalmente corrompida, apresenta uma visão religiosa bélica, raivosa, preconceituosa e insensível diante dos dramas que afligem o povo. Uma bancada calada diante da pobreza, da miséria e da fome. Omissa e conivente com o modelo latifundiário que ataca indígenas, quilombolas e camponeses. Inerte diante da devastação predatória dos recursos naturais. Participante, cúmplice e reprodutora de esquemas políticos que privatizam a política e aprofundam a desigualdade. Protagonista no ataque aos direitos das minorias, como, por exemplo, a comunidade LGBTT. Apoiadora de um Estado punitivo, racista e que criminaliza pobreza e os movimentos contestatórios.

Defende um projeto de poder elitista, antidemocrático, não laico, com forte veia totalitária e que potencializa sentimentos de ódio, raiva e uniformização comportamental. Este setor é, sem dúvida e sem sensacionalismo, o ovo da serpente do fascismo. Com um discurso moralmente vazio, um amor que é capaz de matar, uma paz que faz o povo sangrar, uma visão de Deus como um general vingativo, controlador de instintos, cerceador de liberdades, amante da riqueza individual e que se preocupa mais com instituições do que com pessoas.

O modelo teológico e político no qual essa bancada opera forma pessoas para o ódio mortal em nome do amor e para uma suposta defesa de Deus. É preciso denunciar pedagogicamente esta bancada e apontar para caminhos de uma fé simples, singela, generosa e que escuta o grito de Deus na voz dos povos e dos pobres. Uma fé para a vida, para a liberdade e para o diálogo. Uma fé que sempre duvida do poder, mas tem certeza do amor. Uma fé mais frágil e por isso mais forte e que prepara pessoas para artesanalmente cultivar um mundo de justiça, liberdade e alegria. Vamos lançando sementes e que venham as pedras, pois não deixaremos de crer nem de cantar!

*
Henrique Vieira escreve às quartas feiras para o Quebrando o Tabu. É pastor, formado em Teologia, História e Ciências Sociais. Além de ser professor, atualmente exerce mandato de vereador na cidade de Niterói.

 

Senti certa admiração ao ler que esse autor é um pastor.  Pareceu muito estranho.  Mas é uma das raras pessoas que veem o perigo que é o nosso parlamento ser dominado por evangélicos.  Por isso tomei a decisão de transcrever para a minha seção deeconomia e política.

 



1040 exibições


Avalicações
Excelente: 4
Bom: 0
Regular: 0
Ruim: 0

AVALIE ESSE TEXTO


Você gosta de escrever? Quer um espaço para divulgar suas ideias sem pagar provedor?  Clique em crie sua conta, faça seu cadastro e comece a escrever.  Não lhe custará nada, e você poderá estar contribuindo na defesa de um pensamento.

2 usuário(s) online